quarta-feira, 20 de junho de 2018

Conselhos da titia

Queridos leitores, escritores e simpatizantes,

Participo de muitos grupos de leitura e tenho visto muitos pedidos de "conselhos" sobre como escrever melhor, como conseguir mais leitores no Wattpad...
Bom, sobre conseguir mais leitores, também estou na luta rsrs, mas tem algumas coisas sobre as quais devemos conversar.

1° - Escritores sensíveis.


Meus amores, quando disponibilizamos a nossa obra, precisamos estar preparados para a crítica. Se você realmente quer crescer neste ramo, precisa respeitar os seus leitores. Dizer que não precisa de leitores, que as pessoas devem respeitar o que você escreve, lê quem quiser, tô nem aí se não gostou (...), não vai conduzir ninguém até o final do seu livro.
Se você pensa assim, este post não é para você. Agarre seus dez leitores e seja feliz com este resultado. Beijos!

Mas se você deseja mais da vida, se escrever é tudo que te dá alento e no fim das contas você quer mesmo é brilhar na lista dos mais lidos, então escute os conselhos de quem já comeu muita pedra e capim nesta estrada.

2° - NÃO poste nem uma linha sem fazer correção ortográfica!







Muitos leitores abandonam a leitura, principalmente no Wattpad quando percebem sucessivos erros. É até normal escapar uma ou outra letra trocada, um espaço que não vai (apesar de você dedar o teclado com força). Mas quando o erro é grotesco, como palavras com grafia errada, não saber como usar um travessão, falta de pontuação e vírgulas nos lugares errados (não se separa o sujeito do verbo, enfia essa vírgula em outro lugar ou reformula a sua frase) o leitor fica de SACO CHEIO e com toda a razão.

3° - Repetição de palavras na mesma linha ou parágrafo.





O nosso português é uma das línguas mais ricas em matéria de sinônimos. Repetir a mesma palavra não é manter a "personalidade" do indivíduo, isso é pre-gui-ça. E os leitores também desanimam de continuar a leitura. Existe um aplicativo de sinônimos, gente. Baixe a desgraça no teu celular e gaste 3 minutos fazendo uma pesquisa e substituindo a bendita palavra. Já li textos onde, em um único parágrafo, o autor escreveu quarto 4 vezes (ele entrou no quarto e saiu do quarto, o quarto era assim, por que o quarto assado). Pesquisar é vida! Cômodo, vestíbulo, recinto, local...

4° - Falta de nexo ou verdade.



Nada mais irritante do que ler coisas absurdas ou sem a menor justificativa. O texto precisa ser plausível! Você pode dizer que teve um bebê unicórnio, mas precisa contar como foi esse milagre da natureza e convencer o seu leitor de que isso é possível.
A frase é: PASSAR VERDADE. Mesmo que você esteja indo para Nárnia montada em uma lebre falante. Não estou dizendo que você só precise falar a verdade, estou dizendo que você precisa explicar e RESPALDAR a sua teoria.
Ainda não entendeu? Vou dar um exemplo:
Em 1500 não existiam celulares, então é absurdo escrever uma história onde alguém tira um smartphone do bolso e liga para casa. Mas eis que meu personagem é um viajante do tempo que inventou um aparelho autossuficiente, com nanotecnologia, que não precisa de antena nem de energia para funcionar porque eu sou um gênio inventor pica das galáxias. Pronto. Se eu escrever isso, estarei livre para ligar para o presidente se eu quiser. Mas gente, explica logo. Colocou um telefone em 1500? Já usa o gancho para esclarecer, porque se não, pode ser que o seu leitor não esteja mais acompanhando a sua obra no próximo capítulo.

5° - Roteirista sem emoção


Meus amores, o melhor em um livro é mergulhar na emoção, sentir o cheiro que o personagem estava sentindo, tremer de frio junto com ele, compartilhar do medo, pavor, paixão...
Não existe nada mais triste do que descrições vazias, desprovidas de sentimentos.

Exemplo 1: Maria 12 anos, estudante, cabelos encaracolados, mora em São Paulo.
Então Maria saiu da escola, pegou o ônibus e foi para casa. Chegou em casa, falou com a mãe, comeu um pão e mexeu no celular.




É morrer lentamente.

Dê vida a sua narrativa! Não dê spoiler da sua própria história. Quer ver como pode ficar melhor?

Exemplo 2: Maria respirou fundo enquanto caminhava em direção ao ponto de ônibus. Seria mais um dia de viagem longa e cansativa até a sua casa. Como estudante, ela era obrigada a seguir esta rotina todos os dias, se quisesse continuar estudando e fugir da herança de uma vida atribulada como a da sua mãe. Passou a mão pelos longos cabelos encaracolados que refletiam o brilho dos seus doze anos. Naturais, pesados, sem malícia. 
Olhou pela janela da condução e percorreu com os olhos os diversos e coloridos carros, todos presos no engarrafamento, como ela. Desperdiçando uma tarde amena, perdendo uma parcela de vida em meio à fumaça fétida que irritava o seu nariz.

Chegou em casa exaurida das pessoas, do clima, da rotina, de tudo. Mal olhou para sua mãe, ainda que ela não tivesse culpa de nada e rejeitou o prato de comida, preferindo um pão. Pegou o celular para conectar-se a uma realidade mais suave. Onde tudo seria fotografado com filtro. 

Mas aí você diz: Tem gente que gosta (meia dúzia de leitores). Concordo! Tem gente que gosta de beber xixi, mas não é a maioria, Baby. Você vê por aí, um livro escrito no modelo do exemplo 1 com milhares de leitores? Muito difícil. Como eu falei, são dicas para melhorar e alcançar mais leitores, tornar-se competitivo e atraente para o mercado editorial.

E é neste momento que eu te conto um grande segredo:

Se você deseja ter mais leitores, então precisa respeitar e às vezes, escutá-los. Eu escrevi um livro onde pesei a mão no drama e percebi que estava perdendo muitos leitores. Depois de alguns meses eu decidi reescrevê-lo e o resultado foi ótimo.
Errar faz parte e contar com a experiência e conselho de outros autores, pode evitar que você desista de uma carreira que já é tão desestimulada.
Ser um bom escritor requer muita leitura, muita pesquisa, muito estudo da língua portuguesa. Não caminhe para a mediocridade. Não se contente com pouco. E não desanime ou desista. Mas evolua. Aceite as críticas construtivas e aproveite-as para melhorar seu original.

Receber uma crítica  não é o fim da vida, pelo contrário. Ninguém desperdiça seu tempo enviando uma conselho para um livro totalmente horrível. Um bom enredo, personagens fortes e cativantes são um dos fatores que me motivam a querer ajudar outro escritor.
Se você recebeu um "toque", fique feliz. Sinal que alguém viu potencial na sua obra.

Depois disso você parte para as  negociações com as editoras... Mas isso é outro assunto, para outro post.

Beijos!


domingo, 31 de maio de 2015

Diagramação de Livros

Tutorial de Como diagramar seu livro no Word: 


Esse é o primeiro método:
Método simplificado
A maioria das pessoas escreve seu trabalho usando o formato A4 (21 por 29,7 cm). Quase ninguém mexe nas margens e nem no tipo de letra (quase sempre é Times New Roman). Baseado neste fato faça o seguinte:
a) Ilumine seu trabalho todo. Basta clicar em CTRL + T.
b) Sempre com o trabalho todo iluminado, clique em FORMATAR. Entre em PARÁGRAFO. Quando abrir a caixa, vá para ENTRE LINHAS e clique na seta. Clique em DUPLO e dê ENTER.
Você verá que haverá um aumento considerável no número de páginas. Aumente o número total em 4 páginas, que representam o falso espelho do livro, a página de dedicatórias ou em branco, o espelho do livro e a ficha técnica. Arredonde para o próximo número par. Se deu 167, calcule como 168.
Pronto! Com isto, você terá o número de páginas do seu livro bastante próximos da realidade.
(Atenção: este método é falho – somente o método detalhado pode realmente determinar com precisão o número real de páginas do seu livro). 
 
Este é o segundo método, mais demorado, porém mais completo:
Método detalhado.
Se você deseja diagramar seu livro para ter uma ideia de como ele ficará após ser impresso, siga as instruções abaixo. Se você domina bem o WORD será fácil, mas se não conhecer todas suas ferramentas, é uma oportunidade para aprender o que este software oferece. 
 
1) Antes de começar a diagramar, salve seu trabalho num outro arquivo para não correr riscos com seu arquivo principal. Para tal, clique em ARQUIVO, SALVAR COMO, EN-TER. Nomeio-o como quiser, desde que seja um nome diferente do arquivo principal. Por exemplo: título_diagramado.doc 
 
2) Aprenda a trabalhar com o mostrador de espaços. Clique no símbolo parecido com a letra grega Pi na parte superior onde estão os vários ícones do word. Irão aparecer pontinhos entre as palavras, assim como o próprio símbolo no final dos parágrafos. Isso irá ajudá-lo a visualizar alguns itens no decorrer do seu trabalho.

Se forem maiores, as ilustrações ficarão maiores do que a página, o que é impossível. Corrija-as antes de mudar o formato da página. 
 
2.1) Entre eles, os vários ENTERs que você possa ter dado para passar de uma página para a outra. Elimine-as. Primeiro, pule de página no lugar que você encerrou a página e deseja passar para outra. Para pular de página, use o seguinte procedimento: aperte a tecla CTRL e ENTER ao mesmo tempo. Irá aparecer uma régua com o título QUEBRA DE PÁGINA no meio. Com isso, você evita de ficar dando ENTER até aparecer a nova página. Agora vá eliminando os vários ENTERs que você deu até encontrar o próximo texto. 
 
2.2) Elimine o excesso de espaços que você possa ter dado. Para tal, clique em CTRL + U. Irá aparecer duas caixas de substituir. Na primeira, clique duas vezes na barra de espaço e na segunda caixinha, clique apenas uma única vez na barra de espaço. Depois clique em SUBSTITUIR TUDO. Repita a operação até que o resultado seja ZERO. 
 
3) Com o novo arquivo, comece pelo início do livro. Para tal, a primeira página será chamada de falso espelho. Escreva apenas o título do seu livro. Pule de página. 
 
4) O verso da primeira página (ou página 2) deve ser deixada em branco, ou então use paira dedicatórias, se preferir. Pule de página usando o já conhecido CTRL + ENTER. 
 
5) A próxima página será o espelho, ou seja, uma página dedicada ao seu nome, o título do livro, subtítulo, se houver, o número da edição (1ª edição) seguido do ano da edição – 2007, por exemplo. E no final da página o nome da editora: Editora Zoe, por exemplo. Pule de página – CRTL+ ENTER (lembra-se?). 
 
6) O verso ou página 4 será destinada a Ficha Técnica do livro, que inclui vários itens. Apenas escreva ficha técnica. Deixe que a editora faça isso. Pule de página. 
 
7) As próximas páginas serão para o sumário (não se escreve índice, pois isso é outra coisa). Somente livros técnicos, poesia e contos devem ter sumário, ficção não precisa ter tal relação de capítulos, pois isso é apenas um guia para o leitor ir direto ao assunto que lhe interessa. Ora, um livro de ficção deve ser lido do início ao fim e o leitor não deve pular partes, pois perderá o entendimento da trama. 
 
8) É elegante começar o livro propriamente dito numa página impar, mas não é imprescindível. 
 
9) Após isso, verifique as páginas que tem tabelas (elas não devem ultrapassar os 10 cm de largura para livros de 14 por 20,7 cm, ou 12 cm para livros de 16 por 23 cm). Se elas forem maiores do que isso, na largura, trabalhe-as para que fiquem dentro dessas medidas. Se elas forem menores do que essas medidas, não há problema. 
 
10) Veja as ilustrações. O mesmo acontece com elas. Não devem ocupar mais do que:
• Para livros com formato 14 por 20,7 cm: altura: 16,7 cm, largura: 10 cm.
• Para livros com formato 16 por 23 cm: altura: 19 cm, largura 12 cm.

11) Aperte CTRL + t e irá iluminar o trabalho todo. Com o trabalho iluminado, entre em FORMATAR, depois em PARÁGRAFO e siga as seguintes etapas:
a) ENTRE LINHAS: simples.
b) ESPAÇAMENTO: 0 (zero) pt para antes e depois.
c) ESPECIAL: clique em PRIMEIRA LINHA: deixe com 0,7 ou 1 cm (como achar melhor)
d) Justifique seu trabalho: Entre na parte superior e clique em JUSTIFICAR. Com isso obterá margens do lado direito e esquerdo.
e) Aperte agora o ENTER e todas as modificações que foram feitas serão realizadas ao mesmo tempo.

12) Entre em FERRAMENTAS. Clique em IDIOMAS, depois em HIFENIZAÇÃO, e clique no quadrinho ao lado de Hifenizar o documento automaticamente. Com a hifenização, seu trabalho ficará mais bem espalhado pela página. 
 
13) Agora vem o melhor: a parte final. Clique em ARQUIVO, depois em CONFIGURAR PÁGINA. Ao se abrir a caixa, existem três pastas: MARGENS, PAPEL e LAY-OUT. 
 
14) Clique em MARGENS e coloque todas com 2 cm. Deixe a ORIENTAÇÂO como RE-TRATO. Em VÁRIAS PÁGINAS, deixe como NORMAL ou MARGEM ESPELHO. NUNCA como duas páginas ou livro. 
 
15) Clique em PAPEL. Se quiser seu livro com 14 por 20,7 cm, digite 14 na LARGURA e 20,7 na ALTURA. Faça o mesmo com 16 por 23 cm. Atenção: só use isto se seu livro for muito grande, pois este formato é bem mais caro do que o formato tradicional 14 por 20,7 cm. 
 
16) Clique em LAY-OUT. Clique nas duas caixinhas existentes em CABEÇALHOS E RO-DAPÉS para ter a primeira página diferente das demais e ter as páginas pares e ímpares diferentes. Dê ENTER. 
 
17) Se você fez tudo certinho, seu livro irá aparecer no formato desejado. Todavia, ainda há coisas a serem feitas. Vamos continuar então. 
 
18) Faça alguns testes com vários tipos de letras. Como proceder? Veja abaixo.
a) Ilumine todo seu trabalho. Lembra do CTRL + t?
b) Teste com as seguintes fontes e tamanhos: Book Antiqua corpo 11, Garamond corpo 11, Times New Roman corpo 12, e qualquer outra que quiser menos os scripts que imitam as letras escritas pela mão humana – um livro inteiro com script é intolerável, pois ninguém consegue ler, cansa demais a vista.
c) Veja a que ficou melhor e a que deu menos páginas. Garamond irá sempre dar menos páginas, mas só use se seu livro for muito grande (250 páginas ou mais), pois irá baratear seu livro.

19) Numere as páginas: Clique em EXIBIR, depois em CABEÇALHO E RODAPÉ. Irá aparecer os espaços para cabeçalho e rodapé, além de uma caixa com vários ícones. No rodapé, clique no ícone do lado esquerdo da caixinha que se abriu – INSERIR NÚMERO DE PÁGINAS. Entrará um número. Ilumine-o e configure o texto colocando o tipo de fonte que você está usando com um número de corpo igual ou levemente inferior. Se tiver usando Garamond corpo 11, use Garamond corpo 10. Faça o mesmo para as páginas pares e ímpares, sendo que os pares ficam do lado esquerdo e as ímpares ficam do lado direito. Para tal, basta clicar no ícone esquerda ou direita na parte superior.
Até aqui é o básico. O resto nós faremos para você. Todavia, se desejar siga os próximos passos:
Para quem escreveu livros técnicos:
Citações: Devem ser em tipo menor, com afastamento maior da margem esquerda. Se você fez seu trabalho com Times New Roman corpo 12, use Times New Roman corpo 11. Nesse caso, terá de fazer isso caso a caso. Para dar afastamento, entre em FORMATAR, use RECUO ESQUERDO e digite a medida. O elegante é se o recuo de sua primeira linha for 1 cm, você ou use este mesmo 1 cm ou então 1,5 cm. 
 
Notas de rodapé: Clique em INSERIR, depois em REFERÊNCIAS e depois em NOTAS, e depois INSERIR. Escreva sua nota de rodapé em letra pelo menos 2 ou 3 corpos menores do que o texto. Por exemplo, se seu corpo de texto é 11, use 8 ou 9. 
 
Títulos e subtítulos: Use corpo maior. Por exemplo, se seu trabalho está em corpo 11, use corpo 16 para títulos e 12 ou 13 para subtítulos. 
 
Para quem escreveu um livro de poesias e/ou contos.
No final de cada poesia ou contos, pule de página. (CTRL + ENTER). Dessa forma cada nova poesia ou conto começará numa nova página. 
 
Para quem escreveu ficção (também contos).
Um dos maiores problemas de diagramação em ficção são os diálogos. 
 
Veja como devem ser feitos:
No Brasil, usa-se o travessão como forma mais usual. Esse travessão é conseguido por meio do seguinte artifício. Pode imprimir da forma como achar melhor, mas saiba que o padrão brasileiro é travessão, pois o público está mais acostumado.
Aperta-se com a tecla ALT e digita-se o número 150 no lado direito do teclado – não adianta teclar em cima, pois não funciona. NÃO USE MARCADORES PADRÕES. 
 
Quando você estiver escrevendo um diálogo, comece com o travessão. Há algumas coisas que se faz e outras que estão erradas. Portanto, veja os exemplos abaixo.
– Bom dia.
Mário grunhiu de volta.
Nesse caso, não é necessário travessão no final.
– Bom dia – disse Jorge.
Mário grunhiu de volta.

Já dessa forma é necessário se colocar um travessão quando termina a fala do personagem, pois o escritor complementou com ‘disse Jorge’. Se não colocasse travessão, daria a impressão ao leitor de que a fala toda seria: Bom dia disse Jorge.
Os três exemplos abaixo estão errados.
– Bom dia –, disse Jorge.
– Bom dia, – disse Jorge.
– Bom dia. – Disse Jorge. 
 
Como o travessão no meio tem duplo sentido, tanto como vírgula, assim como fim da fala, não é necessário se colocar a vírgula e menos ainda o ponto, em nenhum dos casos, mas deve-se colocar o travessão, pois indica fim da fala.
Outro exemplo.
– Bom dia – disse Jorge, apertando a mão de Mário. – Vejo que está plenamente recuperado. 
 
O travessão após a frase... Mão de Mário é obrigatório para indicar ao leitor que o personagem continuou a falar.
Finalizando: Não se esqueça de que seu livro terá SEMPRE um número par de páginas. Portanto, se você diagramou e ele tem 135 páginas, na realidade, ele terá 136 páginas, mesmo que uma página fique em branco, ou que você a use para falar sobre o autor etc.
 
Espero ter ajudado, amiguinhos. Editar um livro sozinha é bem difícil, mas conforme a prática, vai ficando mais fácil, acreditem.
Beijos e boa sorte!